terça-feira, 2 de setembro de 2014

ADÉRITO E CACILDA - 2

Adérito estava enterrado nos cobertores a escarafunchar nas narinas com o dedo mindinho. Pelo canto do olho observava a esposa que andava pelo quarto com cara de poucos amigos. Andava numa qualquer tarefa estranha para ele. Tarefa de mulheres – pensou. Ela acabou por o esclarecer.
- Não encontro a porra dos chinelos roxos.
- Deixa lá fofa. Esses chinelos também não condizem com esse pijama ridículo.
Ela ficou ainda mais furiosa.
- Ridículo era o senhor seu avô.
- Credo fofa. Não se irrite e deixe lá o meu avozinho em paz.
- O seu avozinho nunca devia ter nascido e a minha irritação, depressão e o diabo a quatro é crónica.
- Ele enterrou-se mais nos cobertores.
- Pois. Estamos outra vez naquela altura do mês.
- É por isso que odeio os homens. Não sabem o que é T.P.M.
- Sei, Sei querida.
Exclamou ele triunfante.
- São as iniciais para: tem paciência marido.

Nenhum comentário: